Notícias

Mensagem dos Diretores do GOS 2017

Um programa para os dirigentes de Organizações Sociais

"O setor de economia social emerge no contexto da economia nacional como uma realidade que procura responder a inúmeras necessidades, empregando tantas vezes parcos recursos em prol do bem comum. No cenário de um mundo em constante e rápida mudança, muitos são os desafios que se colocam a este setor de atividade.

Já lá vai o tempo em que bastava o bom senso e a convicção do desejo de bem-fazer. Gerir entidades de economia social reveste-se hoje de amplos desafios - conceptuais, de sustentabilidade financeira e motivacional e de adequação ao tempo presente - que passam por exemplo por considerar a colaboração entre os setores público, privado e social, para encontrar soluções exequíveis e sustentáveis na resolução das questões que se colocam à sociedade. A captação de investimento e a avaliação do impacto promovido por quem investe tornam-se temas cruciais. 
Ser dirigente destas entidades reveste-se de uma necessidade de adequação de técnicas de liderança e gestão, em prol do bom desempenho das organizações, o qual inclui, evidentemente, a adequada produção de serviços e a satisfação de colaboradores e público-alvo. E um dirigente faz-se! 
Avançando para as 15ª e 16ª edições, o Programa GOS da AESE tem ao longo dos últimos 10 anos demonstrado ser capaz de responder ao desejo de bem-querer servir entidades sociais, dirigindo-as com ampla qualidade. Isto é sinónimo da consciência da importância do setor de economia social para a economia global, bem como para a garantia de resposta a necessidades concretas num mundo que queremos melhor.
Porque acreditamos que deseja gerir com inovação e qualidade, porque sabemos que para tal é preciso parar, repensar, planear e avaliar, contamos consigo nas edições GOS 2018.

Já lá vai o tempo em que bastava o bom senso e a convicção do desejo de bem-fazer. Gerir entidades de economia social reveste-se hoje de amplos desafios - conceptuais, de sustentabilidade financeira e motivacional e de adequação ao tempo presente - que passam por exemplo por considerar a colaboração entre os setores público, privado e social, para encontrar soluções exequíveis e sustentáveis na resolução das questões que se colocam à sociedade. A captação de investimento e a avaliação do impacto promovido por quem investe tornam-se temas cruciais. 

Ser dirigente destas entidades reveste-se de uma necessidade de adequação de técnicas de liderança e gestão, em prol do bom desempenho das organizações, o qual inclui, evidentemente, a adequada produção de serviços e a satisfação de colaboradores e público-alvo. E um dirigente faz-se! 
Avançando para as 15ª e 16ª edições, o Programa GOS da AESE tem ao longo dos últimos 10 anos demonstrado ser capaz de responder ao desejo de bem-querer servir entidades sociais, dirigindo-as com ampla qualidade. Isto é sinónimo da consciência da importância do setor de economia social para a economia global, bem como para a garantia de resposta a necessidades concretas num mundo que queremos melhor.

Porque acreditamos que deseja gerir com inovação e qualidade, porque sabemos que para tal é preciso parar, repensar, planear e avaliar, contamos consigo nas edições GOS 2018."

Em 2017 decorrerão as 13ª e 14ª edições do Programa GOS


 

Cátia Sá Guerreiro
Diretora do GOS Lisboa
Casimiro Arsénio
Diretor do GOS Porto