Operações, Tecnologia e Inovação

<< Voltar

Disruptive Business Models


Descrição

Com base num estudo alargado a 590 dirigentes e de vários case studies de empresas conhecidas será possível conhecer um framework de vias de inovação do modelo de negócio: renovação, replicação e fixação. A renovação implica uma adaptação radical, enquanto a replicação é afinação e melhoria. A fixação significa que nenhuma é aplicável. As alavancas de inovação do modelo de negócio a analisar são: a gestão, a organização, a tecnologia e a co-criação com parceiros.
 
A Uber, Airbnb, Facebook, Alibaba, Tesla, Coursera, entre outras empresas, estão a transformar indústrias centenárias. Muitos gestores não sabem porquê, nem como responder quando a disrupção digital lhe bate à porta, alterando completamente a criação, distribuição e captura de valor do seu setor. A investigação mostra que uma em cada 3 empresas não presta atenção ao seu modelo de negócio. Muitos falham em inovar porque continuam centrados em fazer as mesmas coisas que os tornaram bem-sucedidos no passado.
 
A disrupção digital afeta-nos a todos, seja do ponto de vista profissional como pessoal e chega-nos por melhorias nos serviços existentes (transporte simplificado no caso da Uber ou alojamento mais flexível e barato no caso da Airbnb), novos serviços (arquivo na cloud com o Dropbox e notícias pelas redes sociais no Facebook), novos produtos (por exemplo a Alexa da Amazon) e por modelos de negócio inovadores (crowdfunding na Zoppa ou Quickstarter e saúde na American Well).
 
Pela discussão de vários casos reais de empresas disruptoras será possível conhecer a sua trajetória, o real impacto que causam, como funcionam e como podemos aprender delas. A resposta à disrupção pode passar, entre outras, pela inovação digital do modelo de negócio, pelo reforço das competências, pela compra ou pela diversificação ganhando adaptabilidade e resiliência.
 
Neste contexto dinâmico e incerto é cada vez mais crítico os gestores aprenderem, partilharem experiências, resultados e tendências de como entregar real valor ao cliente fazendo crescer os negócios segundo um modelo de win-win. No Seminário iremos ajudar os participantes a guiarem as suas organizações no enfrentar da disrupção digital, ou eventualmente a tornarem-se disruptores.

Objetivos
  • Análise e melhoria da gestão, organização, tecnologia e co-criação com parceiros
  • Como criar modelos de negócio inovadores que possibilitam novos serviços e novos produtos
  • Reforço das competências digitais ganhando adaptabilidade e resiliência
  • Guiar a sua organização no enfrentar da disrupção digital dos concorrentes e do mercado ou a tornar-se uma organização disruptiva.
Destinatários

O Seminário é transversal a todos os setores de atividade:

  • Executivos de topo com responsabilidades de inovação e desenvolvimento do negócio
  • Responsáveis de marketing que procuram conhecer e atrair clientes
  • Responsáveis de operações que procuram otimizar processos e servir melhor o cliente
  • Responsáveis de inovação, I&D e de planeamento estratégico
  • Responsáveis que querem conhecer modelos de negócio disruptivos
Professores

Agostinho Abrunhosa, Professor de Operações e Inovação na AESE
André Vilares Morgado, Professor de Política Comercial e Marketing da AESE

Metodologia

Método do Caso e conferências-colóquio.

Idiomas

Português

Locais
Lisboa

Data:

3 e 4 de outubro de 2018

Horário:

Tarde e dia completo

Data limite:

26 de setembro de 2018

Preço:

Early bird até um mês antes da data de início do seminário | 600€
Membros Agrupamento Alumni da AESE (não acumulável com outros descontos) | 600€
Empresas Patrocinadoras do Agrupamento de Alumni da AESE | 600€
Geral | 750€

Por cada três inscrições da mesma empresa, a terceira é gratuita.
(Descontos não acumuláveis) A todos os preços acresce o IVA à taxa em vigor.
Confirmação de inscrições sujeitas a pagamento prévio.

Inscreva-se ›