As vantagens de ter Startups como parceiras de negócio - AESE Business School - Formação de Executivos

Notícias > Disruptive Leaders 360

As vantagens de ter Startups como parceiras de negócio

23/11/2023

Manuel Tânger, Co-Founder & Head of Future da Beta i, inaugurou um ciclo de eventos sobre empreendedorismo e inovação, um tema muito caro à AESE Business School. O Breakfast Seminar sobre Open Innovation, a 23 de novembro de 2023, reuniu startups, corporate e Alumni de Alta Direção e direção intermédia de Pequenas, Médias e Grandes Empresas, de diferentes setores de atividade, no sentido de estimular um crescimento exponencial dos negócios, assente em Tecnologia e Inovação.


Por esta razão existe a Beta-i, uma plataforma de inovação colaborativa, que Manuel Tânger vê como um braço musculado, capaz de ajudar as empresas a responder aos desafios de um mundo cada vez mais acelerado, no qual se assiste à “combinação e à confluência de tecnologias que crescem exponencialmente”.


“A barreira de entrada à inovação desapareceu. Há cada vez mais startups em diferentes áreas a nascerem, a crescerem e a valorizarem-se cada vez mais”, mostrando também uma natureza mais disruptiva. São disso exemplo casos como: Uber, Airbnb, LawGeek e SEEDRS.


As pessoas são o fator especialmente distintivo, quando se comparam startups e PME’s. “Fazer mais com menos” requer “capacidades ambidextras exponenciais”, no que respeita ao desenho e à execução do business model, ao processo, à organização, ao drive e aos objetivos. A agilidade de uma startup pede “equipas mais flexíveis e menos estanques nas suas áreas” de atuação. A postura de aprendizagem sobrepõe-se ao valor de eficiência, prioritário num contexto corporativo: “Ter menos recursos e menos dinheiro disponível obriga a fazer melhor. A inovação permite ajustar, de forma mais destemida. Os fracassos são valorizados pelo capital de experiência e de conhecimento que permitem agregar, ao passo que as empresas sustentam-se nos sucessos alcançados ao longo do tempo. Além disso, tendem a conservar o core business ao passo que as iniciativas empreendedoras procuram “aprender a desaprender”.


O encontro de estímulo à iniciativa empreendedora com fito a catalisar as sinergias entre startups e PME contou com o entusiasmo dos participantes que dinamizaram o período de perguntas e respostas com entusiasmo.


Há 20 anos a trabalhar o espírito empreendedor de líderes e empresários, a AESE dará a conhecer oportunamente as datas das próximas iniciativas.