Notícias > The Covid-19 crisis: investing in a (very) volatile environment

The Covid-19 crisis: investing in a (very) volatile environment

10/11/2020

O Agrupamento de Alumni da AESE convidou o Prof. Javier Estrada, Professor de Finanças do IESE Business School, para uma análise sobre “The Covid-19 crisis: investing in a (very) volatile environment”. Esta sessão incluída no Alumni Learning Program realizou-se a 10 de novembro de 2020.


Como navegar neste contexto extraordinariamente desafiante, complexo e incerto? Javier Estrada começou por fazer um diagnóstico do início de 2020 e apresentou as lições que se podem aprender do atual contexto, antecipando as tendências estimadas num futuro próximo.


Para explicar o grau de volatilidade vivida com o início do ano com a pandemia, o Professor encontrou um paralelo no 1.º quadrimestre de 2008, com a última crise económica mundial.

Segundo o Prof. Estrada, há medidas que devem ser evitadas, ainda que a situação se tenha tornado “assustadora ou dolorosa”. Ainda que os preços tenham descido, períodos complicados fazem parte da atividade de investimento. Por isso, antes de vender, o Professor recomendou os dirigentes e executivos a refletirem sobre quando necessitarão de liquidez. Em vez de comprometerem o portfolio dos seus produtos numa estratégia de diversificação de stocks no seu país, a diversificação num mercado global e a aposta noutras classes de ativos podem ser o caminho a seguir. Javier Estrada sugeriu ainda evitar que a audiência fique refém das flutações diárias e das notícias. Em contrapartida, os decisores deverão livrar-se das apps para transações no telemóvel, da mesma maneira que sustentar-se em princípios e valores fortes.

Segunto o especialista, dado que estão a ser praticadas taxas reduzidas, os investidores devem olhar atentamente para a sua carteira de produtos e de ações. Paralelamente, os stocks também devem ser analisados com precausão. Independentemente da forma como os mercados se comportaram no passado, podem ter sofrido mudanças… e a retoma há-de acontecer, mais cedo ou mais tarde, com vantagem para a Europa face aos EUA. Há que estar preparado.


Após a sua apresentação, o Professor de Finanças do IESE respondeu a várias perguntas colocadas pelos Alumni da AESE, que participaram remotamente nesta conferência colóquio.