Notícias > A internacionalização do Grupo EDP

A internacionalização do Grupo EDP

26/11/2020

Miguel Stilwell de Andrade, CEO Interino e CFO da EDP, foi o convidado do Agrupamento de Alumni da AESE para a sessão de Alumni Learning Program, alusiva ao tem “Internacionalização: de fornecedor local a player global”. A sessão online realizou-se a 26 de novembro de 2020.


A primeira experiência de internacionalização da EDP começou no mercado brasileiro, em 1996. Foi uma operação assente na “forte ligação cultural, política e económica entre os países”, na “alta taxa de crescimento da procura de eletricidade” localmente e do mercado brasileiro ter optado pela “desverticalização das empresas” para captar o investimento de capital estrangeiro. Em 2003 o Grupo EPD reestruturava-se no Brasil e a cotação em bolsa deu-se em 2005.


Em 2000, a EDP aproveitou a interligação com o mercado espanhol e iniciou a 2.ª vaga de internacionalização. A MIBEL (Mercado Ibérico de Eletricidade) permitiu beneficiar das “receitas potenciais e da sinergia de custos”, a aproximação do modelo regulatório de ambos os países e a tendência para a integração dos negócios de gás e de eletricidade. À aquisição da Hidrocantábrica, em 2001, sucedeu-se a Naturgás. Com o aumento de capital de 1,2 mil milhões, o Liberbank entrou, em 2004, no capital do Grupo EDP, tornando-se um dos seus acionistas (5,64%).


O 3.º capítulo da Internacionalização do Grupo EDP data de 2007, com a compra da Horizon, nos EUA. Segundo com Miguel Stilwell de Andrade, esta foi uma oportunidade única na execução da estratégia de expansão, apoiada no crescimento na área das energias limpas”. A EDP antecipou a transição energética: a Horizon permitiu consolidar a posição enquanto líder global em geração eólica.”


O Grupo EDP encontra-se presentemente em 19 países e possui mais de 11.600 colaboradores , com 44 nacionalidades. A estratégia de internacionalização visou “a diversificação do portfólio renovável, complementada com o investimentos mais reduzidos no acesso à energia e em novas tecnologias para aumentar a resiliência do sistema”. A EDP posiciona-se como um player global e líder em energias renováveis, com 20 GW de capacidade de energia renovável. Mais de 65% do resultado operacional  (EBITDA)internacional.


O orador apresentou ainda as metas que o Grupo EDP pretende atingir em 2022, no que se refere à produção e distribuição de energias renováveis, colocando a empresa entre os players mais relevantes a nível mundial.


Após a apresentação do CEO Interino e CFO da EDP, seguiu-se um momento de perguntas colocadas pelos Alumni que participaram na sessão online.