AESE insight

AESE insight

AESE insight #52 > Thinking ahead

O OE 2022 e o fundo soberano negativo

Diogo Ribeiro Santos

Professor de Finanças

O fundo soberano negativo português é obviamente a dívida pública, que deve representar 122,8% do PIB, no final 2022, segundo a Proposta de Orçamento do Estado para 2022 (POE 2022). A comparação é tentadora: enquanto um fundo soberano (positivo) é uma reserva de riqueza que reforça a soberania, a dívida é um direito de terceiros à nossa riqueza futura. Ao invés de uma poupança acumulada, que permita amortecer as crises como a da pandemia ou assegurar a sustentabilidade da Segurança Social, estamos dependentes dos mercados financeiros e, no curto prazo, do Banco Central Europeu (BCE).

O nosso fundo soberano negativo é um monstro que se alimenta de défices. Desde 1995, dotámos este fundo com 177 mil milhões de euros (M€) de défices acumulados. A POE 2022 contribui com um défice de 7.134 M€ (em contabilidade nacional). Como o Estado não dispõe de poupanças, a diferença entre receitas e despesas tem de ser financiada por dívida. Sendo o orçamento cronicamente deficitário, nunca existe margem para reduzir a dívida. Os juros crescem, prevendo-se que representem 2,3% do PIB em 2022 (5.128 M€).

Nada obsta a que o Estado se endivide. Se a dívida financiar apenas projetos com valor atual líquido positivo, isto é, que retornem o capital investido acrescido de uma rendibilidade pelo menos equivalente à taxa de juro, será sempre possível reembolsar a dívida com juros. Se for possível manter uma taxa de crescimento do PIB igual à taxa de juro, poderá até refinanciar-se a dívida perpetuamente, e manter um rácio constante da dívida sobre o PIB.

No caso português, de 1995 para 2020, o valor do PIB nominal praticamente duplicou, enquanto o saldo da dívida quintuplicou (273,8 mil M€, em 2021). Os riscos são óbvios. Se o BCE restringir ou suspender os programas de compra de ativos, o Estado ficará inteiramente dependente dos mercados financeiros para se financiar. É natural que qualquer potencial credor, antes de emprestar mais dinheiro, se questione sobre a capacidade de reembolsar o saldo existente. Outro risco é a subida das taxas de juro da dívida a 10 anos para 3 ou 4% – por força do aumento da inflação e do subsequente aumento das taxas diretoras dos bancos centrais. Considerando que o custo médio da dívida do Estado é de 2,2%, os juros anuais praticamente duplicariam.

A POE 2022 adequa-se a um Portugal com um fundo soberano. Retirando o efeito do PRR, das medidas “one-off” e de emergência, a despesa primária prevista para 2022 situar-se-á 3,4 p.p. do PIB acima do valor pré-pandemia. Deste acréscimo, 2 p.p. do PIB correspondem a despesa corrente primária, nomeadamente despesas com pessoal e prestações sociais. Num momento em que o rácio da dívida sobre o PIB é superior ao dobro do permitido, cabe perguntar qual será o melhor investimento: aproveitar a folga orçamental para reduzir a dívida pública, desipotecando a nossa soberania, ou aumentar a despesa e torná-la mais rígida, diminuindo a nossa resiliência financeira?

 

Outros artigos da edição de 28 de outubro do AESE insight

Sustentabilidade, afinal de que falamos?

Cátia Sá Guerreiro, Professora de Fator Humano na Organização, Diretora Programa de Gestão das Organizações Sociais (GOS) e do OSA – Liderança no Feminino

Como é que as empresas salvam o mundo? Criando valor com Sustentabilidade

Bruno Proença, Professor de Política de Empresa

What Evolution Can Teach Us About Innovation

Noubar Afeyan and Gary P. Pisano, Harvard Business Review

The Secret Behind Successful Corporate Transformations

by Paul A. Argenti, Jenifer Berman, Ryan Calsbeek, and Andrew Whitehouse, Harvard Business Review

Future proof: Solving the ‘adaptability paradox’ for the long term

McKinsey & Company

End your meeting with clear decisions and shared commitment

Elizabeth Doty, strategy+business

Próximos programas de formação

Programa de Alta Direção de Empresas (PADE)

Início a 2 e 3 de novembro, em Lisboa e no Porto

Hospital Business Enhancement (HBE) live online

Início a 8 de novembro

Direção de Empresas Agrícolas e Agroindustriais (GAIN)

Início a 11 de janeiro 2022